CINQUENTA ANOS

Há quarenta anos, vivo imaginando o viver. Ainda não construi a imagem ideal, creio que em mais quarenta anos ainda não terei conseguido.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

A Era de Narciso







Conviver pode trazer silêncio e vazio
Consuetudinários
Um sorriso na multidão
Pode ter vários destinatários
Para cada morte haverá nascimentos
Para cada tristeza bons momentos
A beleza é como se vê
O meu certo ser errado para você.
Nada se cria, mas nem tudo se copia
Se a transformação impera
Então a morte é uma quimera.
Se para cada crescimento há um retrocesso
O que se dirá da ressaca, após o excesso?
Deus persegue os ateus?
Os crentes a absolvição?
O homem muito temente a Deus
Abjura o próprio irmão?
Frases vãs perpetuam-se como verdades:
Que a sabedoria vem com a idade.
Mas se continuam os homens em desvario
Solipisistas, cínicos a influir
Em banalizar, simplificar, reduzir
Sabedoria não vem com a antiguidade
Com ela vem o bafio
Muitas vezes a vaidade
A cerviz dura da arrogância
Que se projeta como intolerância
A lassidão torna-se regra no existir
Exceções: amar, respeitar, ouvir.


09/05/2015



Nenhum comentário:

Postar um comentário