CINQUENTA ANOS

Há quarenta anos, vivo imaginando o viver. Ainda não construi a imagem ideal, creio que em mais quarenta anos ainda não terei conseguido.

domingo, 2 de dezembro de 2012

A MENTIRA



Paira nefanda sobre os discursos
Esgueira-se por entre as motivações
Vazia de conteúdo a flexível forma,
Adapta-se em ameboides considerações
Criando dúvidas rastro daninho
De fatuidade, futilidade, presunção,
Arma tortuosos labirintos
Onde se esconde para roubar
Da Verdade a luz por ilação
Ação diabólica e maquiavélica
Ratifica erros e desavenças
Faz vibrar as frágeis cordas da imaginação
Perpetua-se no universo das vaidades
Dos medos recônditos, das inseguranças,
Enraíza-se nos fracos corações
Insidiosa, com rapidez prospera,
Somente o tempo a desespera,
Ele que prossegue inexorável na realidade
Acaba expondo nua e crua a verdade
Acobertada pelo pusilânime engodo
Pela agradável máscara da ilusão