CINQUENTA ANOS

Há quarenta anos, vivo imaginando o viver. Ainda não construi a imagem ideal, creio que em mais quarenta anos ainda não terei conseguido.

domingo, 29 de janeiro de 2012

TV VOCÊ



Se 90% da população
Vota numa eleição
A abstinência não tem perdão
O voto não foi seu não
Ele foi da televisão
Todos ouvem uma só canção
Nos carros, caixas de som vêm e vão
Letra pobre enriquece a TV
Basta repetir o mesmo tom
O comercial não vai te deixar esquecer
Não pode haver tristeza
Nessa empolgante virtual vida
É ouvir a mesma batida,
Consumir a mesma bebida
Engolir a língua diluída
Regurgitar os miolos no pão
Quem come a Globeleza
Levante a mão
Senta aqui nessa cadeira
Aprenda, sou Mais Você
Por certo eu vou te ver
Dez horas mais tarde
Ainda no mesmo lugar
Marido e filhos já foram pastar
Mas a telinha é o seu ateliê
Só mostra o que você quer ver
Para que ler, escrever, pensar
Sentada aí você pode sonhar
Nos saltos altos, maquiagem, mega star
Não mude a estação
Malhação não vai te faltar
Depois vem o Corujão
Acomode seu corpo esgotado
No buraco do seu colchão
Não durma com a boca aberta
Que a câmera está sempre alerta
Não esmoreça com a perua vilã
Nas novelas ninguém paga conta
E sempre têm dinheiro amanhã
Continue sendo uma fã
Dinheiro você não vai ter
Se o BBB anda na contramão
É apenas opinião
O IBOPE vai responder
Você têm vida real na TV