CINQUENTA ANOS

Há quarenta anos, vivo imaginando o viver. Ainda não construi a imagem ideal, creio que em mais quarenta anos ainda não terei conseguido.

domingo, 9 de outubro de 2011

4x4


Venda, casa, renda, tenda
Faço, tato, trato, ato
Caso, traço, passo, aço
Trago, mago, pago, gato
E faço renda
Trato casa como tenda
E a casa vira lenda
Faço renda com o aço
Passo o gato
O pelo amasso
E no mago eu passo o traço
Ponho o gato à venda. 
O caminho eu que traço
Levo casa, levo mago
Levo tenda, levo gato. 
É renda.
E não perco o meu tato
Com mais renda eu pago 
O aço
Compro casa, compro tenda
Pago o mago
Trago o gato
Vendo aço, tenho renda
Faço um trato com bom tato
Ponha um traço nessa lenda
Que a lenda vira tenda
E no ato eu ponho 
Eu ponho tudo à venda.


Letra: Carla Marzagão
Música, Arranjo e Voz: Luciano Silva

Monocromia


Branco e preto
Nesse plano
Duas cores
No contexto
Peles, sabores

Preto e branco
Branco e preto
Desse jeito
Acorde singular
Maneira de amar

Pele na pele
Cor sobre cor
A dor não é do amor
É o olhar que fere
Mas cabe o sabor
Considerar

Duas sinas
Mistura de rimas
Branco e preto
Duas cores
Dois amores
Sem preconceito
Monocromo perfeito

Letra: Carla Marzagão
Melodia, Arranjo e Voz: Luciano Silva




Negra Serpente



Negra, negra serpente 
Que se esgueira macio
Fica a espera
De repente
Torna-se fera 
Com ousio
Mulher no cio

Enlaça, aperta
Se descoberta
Faz-se de incerta
Entrega completa
Abraça, acaricia
Prazer que vicia

Sente atenta
Em sua placenta
Invasão dolente
Negra serpente
O corpo consente
Gozo iminente

Sibila sussurra
O que é desejado
Retorce, urra
Amor e pecado
A carne, o fado

Negra serpente
Que no momento exato
Recolhe a semente
Movimento indecente
Mulher sem recato.

Letra: Carla Marzagão
Melodia:  Luciano Silva
Arranjo e Voz: Luciano Silva


Não me diga adeus



Não me diga adeus
Por um motivo qualquer
Sem pensar, refletir
Se é isso que você quer
Não me diga adeus
Se depois vai pedir pra eu ficar
Pode ser que o adeus
Seja mais forte que eu
E não me deixe voltar

Por mais que eu não queira partir
Mesmo que não me queira ferir
No entremeio do ir e do vir
Posso não retornar...

Só me diga adeus
Se por um motivo qualquer
Você não me quiser
Algum mau eu fizer
Só me diga adeus
Se depois for pedir pra eu ficar
Não me diga adeus
Não esqueça sou seu
Pro amor não acabar...



Letra: Carla Marzagão/Luciano Silva
Melodia:  Carla Marzagão/Luciano Silva
Arranjo,Voz: Luciano Silva