CINQUENTA ANOS

Há quarenta anos, vivo imaginando o viver. Ainda não construi a imagem ideal, creio que em mais quarenta anos ainda não terei conseguido.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O Erro


Instante desatinado, questionável,
e inverossímil
que dilapida
o que é irrevogável

Descontinuidade da certeza,
momento vago e
atroz, que amiúde,
torna vil a atitude

Se quem faz,
não volta atrás,
não se redime

Se quem sofre,
não perdoa,
o julga como crime.